terça-feira, 13 de agosto de 2013

Jesus Cristo: Pedagogo construtivista

Considerando que Construtivismo é a teoria em que o aprendizado ocorre por resolução de problemas ou confronto de ideias , podemos dizer que Jesus Cristo é construtivista.

Os estudiosos dizem que a educação no Brasil está sendo construída aos poucos, passando por mudanças a cada nova descoberta sobre como as pessoas aprendem. 

Antigamente achava-se que de tanto repetir certas atitudes, se adquiria certo aprendizado. Após alguns estudos, descobriram que as pessoas não são folhas em branco, ou seja, já possuem algumas hipóteses sobre certos conhecimentos podendo relacioná-las a novas hipóteses, construindo, de maneira autônoma, seus saberes. 

Hoje não se fala mais em nenhuma destas teorias como absolutas. Os estudiosos chegaram a conclusão de que as pessoas aprendem através de resolução de problemas, ou seja, na solução de diversas situações, mediante uma boa intervenção, se encontra a aprendizagem. Esse é  o verdadeiro construtivismo. 

Sendo assim, podemos concluir que os pesquisadores estão descobrindo agora o que Jesus Cristo já praticava há dois mil anos... Como? Fazendo intervenções na vida das pessoas por onde passava. 

Podemos encontrar nos textos bíblicos várias situações onde Jesus fazia pequenas perguntas ou comentários que continham reflexões profundas. A própria pessoa, enxergava o problema e a solução por meio da intervenção de Jesus. Isso é ou não é construtivismo puro?

Selecionei alguns exemplos de intervenções onde Jesus falou algumas palavras e transformou a vida de alguém:
  • Quando se encontrou com a samaritana, no Poço de Jacó, ao meio dia, além de lhe pedir água, simplesmente mandou que chamasse seu marido. Isso lhe provocou uma grande reflexão, pois teve que responder que não tinha marido. Já tivera cinco maridos e o que tinha atualmente, não era seu. Jesus só fez uma solicitação e ao enxergar sua vida, a mulher viu que havia algo a ser transformado.
  • Um dia, levaram até Jesus uma mulher adúltera, que por causa do seu pecado deveria ser apedrejada, segundo as leis daquela época. O detalhe é que não há registro de que também levaram o homem que estava com ela. Jesus escreveu algo na areia, e disse que quem não tivesse pecados, que atirasse a primeira pedra. Todos largaram as pedras e foram embora, começando pelos mais velhos. A vida de uma pessoa foi poupada.
  • Jesus contou uma parábola onde um homem fora assaltado e abandonado ferido a beira da estrada. Dos três homens que passaram pelo local, apenas o que era considerado "inimigo" daquele povo parou para socorrer o que estava em necessidade. Então Jesus perguntou quem era o próximo daquele homem. A conclusão dos que ouviram a pergunta foi que o meu próximo é aquele de quem eu me aproximo.
  • Havia uma multidão imensa cercando Jesus por todos os lados, uma mulher doente há doze anos o toca e fica curada. Então ele pergunta quem o tocou. Essa pergunta surpreende os discípulos, pois todos tocavam Jesus. Então ele diz que alguém o tocou de forma diferente, pois sentiu que uma força saíra dele. Desta forma ensina aos discípulos que quando alguém verdadeiramente o toca, o impossível pode acontecer.
Esta é apenas uma reflexão sobre as intervenções de alguém que sendo 100% Deus, era 100% homem. O verdadeiro construtivismo é assim: faz o aprendiz refletir sobre o tema em questão, formando suas próprias conclusões rumo aos conhecimentos convencionais.

Um comentário: